Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Caloira aos 26

A professora que decidiu ser contabilista

Caloira aos 26

A professora que decidiu ser contabilista

Até daqui a 3 anos, vida social

Lembro-me de quando acabei o mestrado pensar: nunca mais vou ter que aturar isto (profs., faculdade, trabalhos da treta)... E de estar com amigas mais novas a comentar que nunca mais na vida ia ter exames para fazer. Podia finalmente aproveitar o Natal, os fins de semana, até os próprios dias da semana para ir sair, tomar um café rápido... Senti-me livre. Foi uma sensação semelhante à que tive quando entrei na faculdade pela primeira vez: nunca mais vou ser obrigada a fazer as horríveis aulas de educação física. Xau aí trampolim e salto em altura. 

 

E agora? Abdiquei do meu tempo livre para regressar à faculdade. Ainda não me caiu a ficha. Na verdade, espero que não caia tão cedo. Noto que não posso ir a jantares à hora normal, tenho que avisar sempre que vou chegar mais tarde ou que só vou no fim do jantar. Deixei de ir ao cinema a meio da semana só porque me apetecia. Deixei de poder ir ao shopping fazer as minhas rondas pelas lojas em paz - agora só posso ir ao fim de semana, quando vai toda a gente mais o respetivo carrinho de bebé. Perdi alguns privilégios, mas ainda não estou a ressacar. Para já, a par do pensamento "oh que pena" vem sempre o "mas, estou a tirar um curso que estou a adorar". Espero que em janeiro não comece a arrancar cabelos com a fase de exames. Façam figas para que isto se mantenha, senão ninguém me atura!