Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Caloira aos 26

A professora que decidiu ser contabilista

Caloira aos 26

A professora que decidiu ser contabilista

"Ó stora... tipo..."

Foi uma frase que nunca achei que ia ouvir no Ensino Superior.

O "tipo" é uma espécie de pastilha elástica irritante que se masca alto, ou aquele palito no canto da boca: não nos deixa perceber lá muito bem o que o outro está a tentar dizer; interrompe-nos o discurso; distrai quem está a ouvir, porque a dada altura estamos a contar quantas vezes se disse "tipo"... Chateia. É uma palavra que muitas vezes não serve para nada.

Numa das aulas uma colega, que não teve tempo de passar o que estava no quadro, em vez de pedir que se esperasse um pouco preferiu berrar lá do fundo: Ó STORA... TIIPOOOO... NÃO PASSEI.

Mas ninguém explicou a estes miúdos que há formas de nos dirigirmos a um professor ou a outra pessoa qualquer?

Só de pensar que, tipo, aguns destes miúdos, tipo, votaram ontem, tipo, até fico arrepiada...

1 comentário

Comentar post