Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Caloira aos 26

A professora que decidiu ser contabilista

Caloira aos 26

A professora que decidiu ser contabilista

Os temíveis trabalhos de grupo chegaram

Ai, só de pensar já fico com suores frios - sim, pode ser da gripe também.

 

Eu detesto trabalhos em grupo. Não é por não saber trabalhar em grupo ou por não saber ouvir... É mesmo porque não há paciência para alguns filmes. Não tenho paciência para pseudo-reuniões em que se combinam coisas que podem ser definidas em 5 minutos, ou para andar a perguntar "então, já fizeste a tua parte?", ou para andar a corrigir os erros dos outros... Eh pá, não me metam nisso. 

 

Quando a prof. disse que havia um trabalho em grupo fiquei mesmo aborrecida. Ainda assim, tentei organizar logo um grupo com elementos do meu género - pessoas que percebem a importância relativa daquilo e que sabem trabalhar de forma autónoma.

 

Estava tudo combinadinho até à aula em que a prof. nos coloca mais dois colegas. E foi o tempo de ir ao wc e chegar a sala para ter mais um - posto isto, não volto a sair da sala até a aula acabar - Ai vida!! Somos para aí 6 e isso para mim já é demasiado. Principalmente quando um colega tem idade para ser nosso pai - estão a ver o empenho dele num trabalho de grupo de uma disciplina de primeiro ano, não estão? Não? Então e se vos contar que ontem ele não sabia quem era o grupo dele? Fiz logo cara de poucos amigos e só me apetecia dizer-lhe: como não sabe??? Começa bem, ó colega! Se nem conhece o grupo, então quando tivermos um tema e trabalho para fazer podemos esquecer que existe. (By the way: já anda a fazer esta disciplina há 3 anos... respira P., respira.)

Depois da explicação da prof. ao colega sobre quem eram os colegas de trabalho ele conclui: AAAAHHH! São os trabalhadores?

 

Não tenho sorte nenhuma. 

1 comentário

Comentar post